Saúde bucal: qual é o nível adequado de flúor na água?

agua_editado

Recentemente um estudo revelou que 28,5% da água utilizada pelos paulistas está com níveis inadequados de flúor. A pesquisa, realizada pelo Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) em parceria com o Centro Colaborador do Ministério da Saúde em Vigilância da Saúde Bucal (Cecol/USP) e o Laboratório de Bioquímica da Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Unicamp (FOP/UNICAMP), levou em conta resultados de 632 municípios. Além disso, foi analisada a qualidade da água para uso humano.

Somente Campinas, Dourado, Fartura, Jaboticabal, Macatuba, São Paulo e Sorocaba estavam de acordo com a concentração indicada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).  Nas demais cidades, os níveis de flúor estavam ou acima ou abaixo do recomendado. Na dosagem correta, o fluoreto serve como proteção contra as cáries, especialmente para crianças de até 12 anos de idade. Em excesso, a substância pode acabar causando manchas esbranquiçadas nos dentes.

O uso do flúor é uma medida preventiva, que faz parte de uma série de políticas de saúde pública.  Por lei, as empresas de abastecimento de São Paulo são obrigadas a adicionar entre 0,6 e 0,8 miligrama de flúor por litro de água.

Fonte: Planeta Sustentável e Bom Dia Brasil